Loading

sexta-feira, 29 de agosto de 2008

Comunicação: passado, presente e futuro
.
Bertrand Sousa
.
As formas de transmissão de mensagens vem acompanhando o desenvolvimento humano. Na época das cavernas, os povos primitivos comunicavam-se através de gestos entre emissores e receptores. O tempo passou e o homem conseguiu desenvolver a capacidade de falar, organizando a partir daí, códigos verbais entre as diferentes comunidades que habitavam o planeta.
.
Entretanto, o surgimento da escrita foi o grande marco da Comunicação entre os seres humanos e um dos principais acontecimentos da História. A partir dela, a humanidade deu um grande salto rumo ao desenvolvimento, em diversas áreas. As informações podiam agora circular com mais facilidade e rapidez, sendo aproveitadas por um maior número de pessoas. Assim como a fala e os códigos gestuais, a escrita pode (e deve!) ser considerada uma tecnologia de grande importância, que caracterizaria inúmeros sistemas de comunicação dali em diante.
.
Séculos passaram e a possibilidade de reproduzir documentos escritos em larga escala, devido ao invento de Gutemberg (prensa tipográfica), deu ao homem a idéia base para a criação dos primeiros veículos impressos. Nascia portanto, o sistema publicitário e jornalístico. O sistema literário também registrou um grande impulso desenvolvimentista na época.
.
Mas a Comunicação não podia ficar restrita a uma determinada região geográfica. Era preciso expandir os limites da difusão das mensagens escritas. E para solucionar este problema foram desenvolvidos os sistemas de correios e telégrafos. Além disso, o aparecimento do telégrafo representou o início da pesquisa científica com o objetivo de desenvolver o telefone, aparelho capaz de proporcionar o diálogo verbal à distância.
.
Cada um destes princípios foram aprimorados ao longo dos anos, possibilitando o surgimento das transmissões televisivas, geradas a partir de sinais eletromagnéticos e distribuídas através de antenas gigantescas e satélites. Agora somavam-se texto, sons e imagens a serviço da propagação de conhecimento entre os povos da Terra.
.
A evolução contínua das tecnologias de informação não parou mais, com novas aplicações e finalidades. Por mais paradoxal que possa parecer, as duas guerras mundiais possibilitaram o desenvolvimento tecnológico em vários setores, sobretudo no campo das Telecomunicações. Devido a necessidade crescente de troca de informações entre comandantes e tropas, separados por milhares de quilômetros, além do grande volume de dados envolvidos no contexto de um conflito mundial, foi criado um equipamento que pudesse processar e armazenar grandes quantidades de informação. Surgia assim o computador, cheio de alavancas, rodas dentadas e transistores.
.
O aparecimento dessa máquina representou uma revolução tecnológica para a humanidade, a revolução informática. Esta por sua vez, só foi possível graças a revolução quântica, aos estudos da física quântica e seus respectivos pesquisadores. A informação passou a ter uma dimensão automática, quase instantânea. E desde então vivemos na “era digital”, onde tudo, ou quase tudo, pode ser descrito por códigos binários.Com o advento da Internet, a rede mundial de computadores, as pessoas passaram a conviver diariamente com a velocidade e o volume de conhecimento gerado pela ciência nos últimos 2 mil anos. A chamada “aceleração do tempo social”, resultante deste processo, trouxe possibilidades de comunicação e obtenção de informações nunca antes vistas, que continuam aumentando, exponencialmente.
.
De acordo com filósofo francês Pierre Levy, a web não trouxe mais uma revolução; o seu desenvolvimento foi a própria revolução. E como em revoluções tecnológicas anteriores, estas transformações abriram caminho para uma avalanche de novos produtos – havendo graus variados de adequação entre eles, a demanda do mercado global e as necessidades sociais.
.
Por outro lado, as redes digitais multimídias encurtaram ainda mais as distâncias. Levy afirmou em entrevista, que ao contrário do que pensam alguns, elas ocasionaram um aumento dos contatos e trocas; uma interatividade maior entre as pessoas, tanto física como virtual e que ao longo da história, os meios de comunicação se desenvolveram paralelamente aos transportes.
.
Navegando pelas redes, como a Internet, podemos partilhar o ambiente e a interatividade do espaço cibernético (ciberespaço), pois ele proporciona interconexões generalizadas que se auto-organizam e se retroalimentam continuamente. O teórico francês destacou ainda que as redes de computadores caminham rumo a criação de uma “unimídia”, pois os meios tendem a ser, em sua maioria, digitalizados, havendo um centro único de recepção das mensagens, uma “consciência coletiva”. Na web, a polaridade entre um centro emissor ativo e receptores passivos deixou de existir, porque no ciberespaço cada um é, simultaneamente, emissor e receptor em potencial. Para Levy, ela representa um local onde a liberdade de expressão é melhor exercida, pois é possível que cada vez mais pessoas falem, para um público cada vez maior e de âmbito planetário. Assim, pode ser considerada como o local onde a Comunicação é mais democrática.
.
Também é destaque nas tecnologias informáticas as crescentes conexões entre computadores e sistemas de telefonia móvel (celular), através de modelos de transmissão de dados como: GSM, GPRS, TDMA, WAP, entre outros. Cada vez mais os celulares se parecem com computadores e vice-versa, pois já existem micros com dimensões bastante reduzidas disponíveis no mercado.
.
As perspectivas para o futuro apontam na direção de uma manipulação crescente de todas as coisas, inclusive das informações. E todos nós temos que estar preparados para conviver e interferir positivamente neste processo. A maior parte das previsões feitas pelos cientistas, podem ser consideradas como otimistas.
A tecnologia será integrada progressivamente ao cotidiano das pessoas e deve trazer vantagens competitivas no mercado globalizado, mas também pode gerar novas formas de dominação e exclusão, que terão de ser fortemente combatidas.
.

2 comentários:

Priscila Lima disse...

e viva a tecnologia!

Ela disse...

Maravilha de informação!